06 agosto 2017

Resenha: Eleanor & Park, Rainbow Rowell


Sinopse:  Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.
 xoxoxo



eleonor park está longe de passar das narrativas clichês e é isso que o torna perfeito. Ele aborda toda uma problemática em torno da família da Eleonor que é bastante desestruturada, contando com dificuldades financeiras, um padrasto abusivo e a submissão da mãe dela. Já a família do Park é totalmente oposta a tudo isso, mas, como ele mesmo descreve no livro percebemos que ele além de ter "tudo", tem um relacionamento bem fragilizado com o pai. E é dessa forma, em meio a problemas, bulling e perversidade que somos apresentados a eleonor park.

É tão doce a forma como eles vão se conhecendo, sentindo a necessidade da presença um do outro, a troca de ideias, as poucas conversas e os olhares roubados, que em diversos momentos do livro o meu estomago se encheu de borboletas e eu me vi ali, perdida em meio ao sentimento deles, das relações familiares, no meio das mãos dadas, do primeiro beijo, do primeiro amasso... Sim, eu estava lá! Vivendo cada emoção, vivendo cada decepção e sentindo cada dificuldade enfrentada. E tudo isso é possível, porque os capítulos do livro são intercalados entre as narrações da Eleonor e do Park o que achei maravilhoso por evitar que a história se torne mais interessante e menos cansativa.
"Assim que a tocou, perguntou-se como aguentara tanto tempo sem fazê-lo. Passou o dedão pela palma e pelos dedos dela, ciente de cada respiração de Eleonor."
E o final? Nossa, vou contar uma coisa pra vocês... A maioria dos comentários que encontrei na internet foi sobre terem odiado o final e sobre como ele foi triste.
No entanto, apesar de nada clichê... Sim! Eu te disse. O livro não é clichê. O final, é um final que deixa diversas possibilidades e questionamentos.
Ele te dá dois nortes para se trabalhar: O primeiro é que as vezes por diversos motivos não ficamos com o nosso primeiro amor (porque DEUS???) Snif. "Quem ai não teve um primeiro amor que te dava borboletas no estômago e que hoje você não está mais com ele?" - EUUUU
 O segundo (que é o meu preferido), trabalha em outra perspectiva. Uma na qual a Eleanor precisou de um tempo para se adaptar, se conhecer, se amar e (segundo ela) merecer o amor do Park. Sim, porque é quase impossível você ficar e achar que merece o amor de alguém quando você está quebrada. Então, depois que ela remenda os pedacinhos dela, eles se encontram depois na faculdade e se redescobrem novamente. ♥

****** SPOILER/COMENTÁRIOS, NÃO LEIA SE AINDA NÃO LEU O LIVRO ********

A Rainbow deixou muitos fios soltos gente! Esse livro merece uma continuação, porque a gente necessita né??? Tenho uma lista de coisas que gostaria de perguntar para ela:

  • A mãe da Eleonor se separa do padrasto dela?
  • Eleonor volta a morar com os irmãos?
  • Porque o Park não foi até a casa dos tios dela e obrigou a Eleonor a falar com ele? Ele não sabia o endereço???
  • No final, a Eleonor escreveu "Eu te amo"?
    • O que o Park fez a respeito disso?
    • Eles voltam a ficar juntos?
E por fim... 
  • PELAS CARIDADES!!! VOCÊ VAI ESCREVER UMA CONTINUAÇÃO COM UM FINAL FELIZ E CLICHÊ? 
    • Sim ou não???